Curso Completo


Introdução


É muito importante que leia atentamente todos os capítulos deste manual e pela ordem em que aparecem. Não se sinta tentada a saltar partes que julga já saber ou que lhe parecem óbvias. 

Transformar o seu marido num corno completamente submisso é algo extraordinariamente gratificante! Ele irá satisfazer todos os seus desejos e caprichos sexuais permitindo-lhe "dormir" com quem desejar sempre, onde e quando quiser. O marido cuckold sujeita-se de livre e espontânea vontade a qualquer humilhação que lhe imponha, não deixando com isso de a amar incondicionalmente.

Mas atenção, este poderá vir a ser um dos maiores desafios da sua vida! O processo é longo e complicado exigindo muita dedicação e energia da sua parte. Haverá mudanças extremas no seu casamento podendo levar semanas ou meses até atingir o sucesso, mas no fim valerá a pena!

Espero que as minhas palavras a ajudem a iniciar-se no maravilhoso mundo da dominação feminina retirando alguma da apreensão e receio que possa sentir inicialmente e que impedem muitas mulheres de se libertar sexualmente. No final verá como transformar o seu marido num corno submisso não é uma missão impossível.

A principal razão que impede muitas mulheres de enveredarem pelo Cuckold é pensarem que o marido ou companheiro nunca irá aceitar tal situação. Esta é aliás uma ideia pré-concebida incutida profundamente  na mente de quase todas as esposas. Mas como verá, tal não corresponde necessariamente à realidade. Muitos cuckolds começam por ser maridos completamente "normais", exercendo o seu domínio e masculinidade na relação. Mas tenha em atenção que por baixo de todo esse orgulho viril e másculo existe um homem em busca do seu lado submisso e que por vezes até a desafia subtilmente a força-lo a realizar todo o tipo de excentricidades.

Socialmente e profissionalmente, o homem comum é obrigado a manter uma postura de força e poder ao longo de quase toda a sua vida. Existe uma luta feroz, constante e desgastante por domínio. Para ele tudo representa um desafio, um jogo. A sua ambição é ser o macho alfa do seu território, é destacar-se dos outros, dar provas da sua superioridade. É devido a esta pesada competição e à sua própria natureza que o homem precisa e procura equilíbrio. E onde encontra esse equilíbrio ? No único local onde pode delegar o fardo do poder, da responsabilidade e da autoridade, onde se pode libertar da sua natureza dominante, onde não precisa de ser o macho alfa, nem de lutar pelo seu estatuto ou território. Esse local é a cama, a intimidade. Por alguns momentos pode descontrair e simplesmente contrariar o seu instinto competidor, pode libertar o seu lado sensível, frágil e submisso. A sexualidade funciona assim como contrapeso permitindo-lhe equilibrar os dois lados da sua vida. (Ver Dominação)

Não pense em cuckold como algo egoísta e unilateral que visa satisfazer única e exclusivamente as  necessidades da mulher. O cuckold é algo muito mais abrangente, que irá afectar positivamente ambos os elementos da relação. Cuckold significa equilíbrio, cumplicidade, reciprocidade e felicidade. Pergunte a qualquer cukold como classifica a sua relação matrimonial e garanto-lhe que não encontrará uma resposta negativa.



Cuidados especiais que não deve descurar:



  • Não aplique as regras, métodos e sugestões enunciadas neste curso publicamente. Tudo o que aprender aqui destina-se única e exclusivamente a momentos de intimidade e privacidade. A ideia não é mudar o seu marido social e profissionalmente. Não quer alterar a sua imagem junto dos amigos e familiares. Recorde-se da importância do equilíbrio, lado publico dominante, lado intimo submisso.
  • Se o seu marido sofre de baixa auto-estima, insegurança, personalidade instável ou tendência para depressão recomendo um cuidado extremo na aplicação dos métodos presentes neste curso. O marido ideal é o marido seguro, confiante e consciente das suas qualidades e capacidades. Se assim não for deverá primeiro incentivar, elogiar e enaltecer as suas qualidades e atributos sociais e profissionais transmitindo-lhe a segurança que necessita no seu lado publico.
  • Se tem um marido violento com episódios frequentes de falta de controlo e violência física este curso não é para si. Mais tarde publicarei um manual para lidar com este tipo de personalidade.
  • Os momentos e as experiências a que sujeitará o seu marido são extraordinariamente pesadas e intensas, caso ele sofra de problemas cardíacos, epilepsia ou outra doença do foro nervoso não deve prosseguir com este curso.

O Amor e o cuckolding


Algumas das dúvidas que podem ensombrar os seus  pensamentos são "Como me pode amar o meu marido se não sente ciúmes em ver-me com outro homem, e até gosta ?!" ou "Como posso amar o meu marido e fazê-lo passar por tais humilhações ?" ou ainda "Como posso amar um homem e ter sexo com outro ?"

Desde que temos percepção do amor e do sexo que somos levados a acreditar que estes dois elementos fazem parte do mesmo pacote e que um não existe sem o outro. As regras sociais e morais dizem-nos que sexo sem amor é imoral, é feio e é pecado. Não é fácil, por isso, aceitar que se possa separar no "sagrado" casamento, o sexo e o amor. Esta é a base do desconforto e das dúvidas que pairam sobre o Cuckolding.

O facto é que o Cuckolding não poderia existir sem amor. Para que haja realização por parte do marido e da esposa os dois têm que se amar e ser cúmplices nesta aventura. É essa ligação que dá intensidade à relação. Não existe ausência de ciume, o que existe é ciume controlado, ciume saudavelmente convertido em desejo, paixão e tesão. É em consequência desse forte sentimento que o seu marido sente prazer em vê-la com outro homem, se não houvesse amor e sensação de pertença conjugal, seria banal e não lhe despertaria qualquer tipo de interesse. O cuckolding representa um estilo de vida agri-doce. É o contraste de sabores, o desafio dos limites, as incursões por terrenos proibidos e a contradição interior entre os sentimentos e os actos, que provocam momentos de indescritível excitação e intensidade.

Seja sincera consigo mesma, sente-se realizada sexualmente ? O seu marido dá-lhe o que precisa na cama ? Se ainda está a ler este manual é porque a resposta a estas perguntas é não. Tal como você, também o seu marido não se sente realizado sexualmente. Por muito amor que exista num casamento, se ignorar a parte sexual, estará a ignorar a felicidade. A sua e a do seu marido. Basta que um dos elementos do casal não se sinta completo e realizado para transmitir uma energia negativa causando frustração, desconforto e insegurança.

O cuckolding não lhe diz para deixar de amar o seu marido nem para o trocar por outro. Nem sequer lhe diz para o trair ou torna-lo infeliz. O objectivo do cuckolding é tornar a relação mais completa e gratificante para ambas as partes. É a solução para não deixar morrer o sexo no seu casamento. É por isso que a grande maioria dos casais que opta por este estilo de vida tem mais de 15 anos de casamento, idade suficiente para adquirir maturidade, confiança e segurança, mas também para começar  sentir os efeitos negativos da rotina e da acomodação.

Seja genuína e verdadeira consigo e com o seu marido. Se sente prazer em humilha-lo, humilhe-o, se sente prazer em estar com outros homens, esteja. Assuma-se e permita ao seu marido assumir-se. A alternativa é uma vida falsa, frustrante, monótona e vazia. E nessa altura, quando o seu marido procurar sexo apenas em noites de lua cheia, terá razões para se perguntar "Será que ainda me ama ?"

Primeiro treine-se a si própria




O cuckold é uma ciência. A esposa que decide transformar o seu marido num corno submisso deve reunir um conjunto específico de conhecimentos e qualificações. Como em qualquer outra profissão tem que aprender, ler e praticar. Por isso, como uma profissional, antes de começar a treinar o seu marido deve treinar-se a si própria. Está prestes a iniciar uma aventura incrível, e para isso é importante que se sinta preparada e confiante!

O mundo do cuckold é muito diferente do mundo normal... Tem muitas regras e costumes diferentes das do dia a dia que deve assimilar e compreender. Para começar deverá mergulhar nesta cultura lendo histórias eróticas sobre cuckolding. Muitas mulheres antes de si deixaram as suas vivências e experiências na arte da dominação sexual documentadas em relatos e histórias. O mesmo acontece com homens que se entregaram ao cuckold descrevendo os seus  momentos mais íntimos e fantasias mais ousadas publicamente. Aprenda com eles. Poderá ainda ler textos sobre dominação feminina e ver alguns vídeos sobre humilhação masculina. Neste blog encontra muita desta informação essencial.

Deverá também treinar-se para ser sexualmente independente. Se quer controlar o seu marido precisa de aprender a não precisar do seu pénis. No futuro irá necessitar de recusar ao seu marido os prazeres do seu corpo, e isso apenas será possível se for suficientemente forte para aguentar a abstinência sexual. De todas as maneiras, tenho a certeza que o sexo entre si e o seu marido não deverá ser nada do outro mundo, ou não estaria a pensar em transforma-lo num corno... Por isso, masturbe-se, use as mãos, vibradores, cremes, pornografia e todos os acessórios que encontre. Divirta-se! Visite uma sex-shop e procure novas ideias. Poderá também começar a pensar em comprar alguns brinquedos que depois de os usar em você poderá usar no seu marido, quando este estiver devidamente treinado, claro. A chave está em nunca estar desesperada por sexo, treine-se em procurar satisfação sexual noutra fonte que não seja o seu marido.




Uma boa forma de ir ajudando o treino é mudando a sua aparência. Estipule o objectivo de se tornar uma "hotwife", uma mulher quente, sensual e provocante. Uma hotwife foca-se essencialmente em expressar a sua sexualidade de todas as formas possíveis, desde o tipo de sapatos que calça até à forma como faz a depilação íntima. Embora varie de mulher para mulher, deverá vestir roupa justa tanto quanto puder, saias curtas, usar perfume, e sapatos de salto alto. Trate cuidadosamente do cabelo e da maquilhagem diariamente, à noite use sempre lingerie sexy mas quando sair não use sempre roupa interior, aliás, basta não usar uma vez para ficar a dúvida eterna se tem ou não roupa interior vestida. Se começar a fazer este tipo de coisas, não está apenas a enviar um sinal para o seu marido dizendo-lhe que mudou, mas estará também a enviar um sinal a si própria. Se parecer uma hotwife irá começar a sentir-se e a pensar como tal, e então a transformação será real! As vantagens são muitas, o seu marido irá reparar muito mais em si, mesmo que não o demonstre, e os outros homens vão começar a observa-la e deseja-la, isso irá aumentar a sua confiança e energia sexual. Isso é poder.

Algumas mulheres devem estar a perguntar-se neste momento; mas onde vou  arranjar eu tempo para me preparar de forma tão cuidada ? Onde vou arranjar dinheiro para mudar o guarda-roupa e comprar todos esses acessórios ? São questões realistas e plausíveis. É uma mudança que requer disponibilidade, dedicação e investimento. Mas essa mudança é fundamental, por isso, em vez de se focar no problema comece a procurar soluções. Não tem que fazer tudo de uma só vez nem num único dia. Faça uma lista do que pode fazer já e um plano para o futuro.





O casamento, a rotina, as obrigações e responsabilidades familiares têm tendência para gerar desleixo e acomodação em tudo o que toca à imagem e postura. Tente recordar-se de como era antes de casar, dos cuidados que tinha consigo, da atenção que dava aos pormenores, nessa altura era livre, estava disponível e sempre preparada. E agora ?

Outras mulheres poderão sentir-se desconfortáveis com o seu corpo e aparência considerando este desafio inglório e um desperdício de tempo. A beleza é sem dúvida um atributo importante, mas não é essencial. Não existem requisitos físicos obrigatórios para o cuckold. Não se esqueça que o seu marido já a escolheu, já aceitou os seus defeitos. Além disso o cuckolding tem uma componente psicológica muito forte. A sua atitude e postura são claramente mais importantes que a aparência física. Por isso foque a sua atenção naquilo que é realmente importante, as suas virtudes.

Algumas dicas:

Mistério
O mistério alimenta a imaginação, desperta fantasias e está associado à sensualidade. Fale menos, não precisa de contar tudo o que se passa na sua vida ao seu marido. Guarde para si alguns dos seus pensamentos e opte por não revelar partes do seu dia. O silêncio é de ouro!



Higiene Intima
Tratar da sua higiene íntima à frente do seu marido não é minimamente interessante para ele. Abstenha-se de partilhar pormenores do foro ginecológico como fazer comentários sobre a menstruação, problemas vaginais, higiene pessoal etc. Há coisas que ele não precisa saber.



Depilação
A chamada depilação brasileira (Brazilian Wax) é actualmente uma das mais apreciadas e desejadas e significa depilação completa. Além de contribuir para uma melhor higiene, a depilação completa simboliza iniciativa, negação das regras e dos limites sociais e morais, mente aberta, ousadia e sensualidade. Faça depilação regularmente pois a abundância de pelos diminuem o apetite sexual.



Perfume
O olfacto é um sentido poderoso. Perfume-se todos os dias e aplique regularmente óleos e cremes na zona genital, principalmente antes do acto sexual. O efeito destes cuidados são extraordinários, além de lubrificarem, facilitando a penetração, algo muito apreciado pelo cuckold, servem como afrodisíacos tornando o sexo estimulante e apetitoso.


Mãos e Pés
Tenha especial atenção ás mãos e aos pés. Mãos bonitas e pés bonitos sempre excitaram os homens. Na realidade a grande maioria dos homens tem um fetish por pés. Por isso não os esconda, use calçado que permita mostra-los. As unhas cuidadas são outro elemento chave, mãos bonitas implicam unhas bonitas.

Ver outras dicas

Antes de se vestir, de sair de casa, de falar alguma coisa, pergunte-se a si própria "Seria assim que se vestiria, sairia ou falaria uma hotwife ?", "Seria assim que me vestiria antes de ter casado ?".

Sinta-se também livre para começar a "flertar". Provavelmente já passou algum tempo desde que "flertou" com outro homem, por isso pratique. Olhe os homens nos olhos e sorria. Se deixar cair alguma coisa no trabalho apanhe-a sem flectir os joelhos. À noite saia com as suas amigas. Crie o objectivo de "flertar" pelo menos um homem por dia. A ideia é aumentar a sua confiança. Ficará satisfeita em saber que existem outros homens interessados em si.


O Início



Logo que se sinta à vontade na arte do cuckolding, livre do pénis do seu marido e mais segura e confiante, chegou a hora de começar.

Levar o seu marido a assumir pela primeira vez a postura de cuckold  é a parte mais difícil do processo. Mesmo que ele queira e deseje ser o seu escravo sexual, irá oferecer resistência. Existem várias razões para ele reagir assim tais como o estereótipo de masculinidade que tem incutido, os anos de rotina entre os dois, mas principalmente a vergonha. Será tão difícil admitir a si o desejo de ser o seu corno, como será admiti-lo a si próprio. Ele nunca lhe entregará de bandeja o domínio sobre ele próprio, mesmo que o queira. Isso violaria tudo o que conhece sobre ser homem. Por isso é necessário ser você a tirar-lhe isso, é a única forma.


Durante esse tempo a relação poderá sofrer alguma instabilidade fruto da alternância da autoridade entre um e outro. Chegará a uma altura em que nenhum de vocês saberá exactamente onde começa e acaba o poder do outro. Isso criará certamente uma situação desconfortável  para ambos, pois o ser humano necessita de ordem e hierarquia. Começará então a sentir duvidas e a questionar-se; "Será que estou a ser muito dura com ele ?" "Terá sido boa ideia embarcar nesta aventura?" "Será que estou a destruir o meu casamento ?" São pensamentos completamente normais, mas que nunca deverá partilhar com o seu marido. Partilhar pensamentos de incerteza e insegurança apenas criará dúvida na cabeça dele e mostrará fraqueza. A insegurança dele será o dobro da sua por isso, tal como com uma criança, deverá guiá-lo pela mão com segurança e firmeza.


Analisando o Marido

Alguns maridos desde cedo que expressão a sua apetência para o cuckolding, normalmente em momentos de elevada excitação sexual. Existem vários sinais e sintomas que pode observar e que indicam a forte predisposição e receptividade a este estilo de vida.
  • Tendência para sugerir fantasias sexuais envolvendo outros homens, durante as relações
  • Perguntas íntimas sobre os seus antigos namorados
  • Insistência para que compre vibradores e outros acessórios que possam substituir o seu pénis
  • Tendência para exibicionismo excitando-se com sexo em locais públicos, no carro, e em zonas frequentadas por voyeurs.
  • Tendência para usar a língua em substituição do pénis
  • Ter pénis pequeno, ou julgar o seu pénis pequeno
  • Exagerar no uso de lubrificante ou penetra-la primeiro com um vibrador maior que o seu pénis
  • Uso de um ou mais preservativos
  • Atitude submissa com pouca ou nenhuma iniciativa durante o acto sexual
  • Falta de apetite sexual (como não tem o retorno que deseja a motivação sexual é baixa)
Caso o seu marido manifeste todos ou alguns destes sinais, parabéns, o seu trabalho será muito menor, siga no entanto todos os passos enunciados neste manual para garantir o sucesso total. Use estes indicadores em seu proveito, como ponto de partida para o cuckolding. Entre nas "fantasias", fale dos seu namorados, use vibradores e sugira sexo em locais públicos. Mas faça-o sempre por sua iniciativa, não espere pelo seu marido, assuma você o controlo e embarque nestas situações que tanto o excitam. Deixe no ar algumas ideias negativas sobre o seu pénis, fazendo por exemplo alguns comentários ou comparações com outros homens ou vibradores que possua.

Se o seu marido não revela qualquer um destes sinais, pelo menos de forma clara e evidente, o próximo capitulo deste manual poderá ajuda-la a abordar o tema do cuckold de forma segura.

Por outro lado, se o seu marido revela algum ou alguns destes sinais mas você decidir ignora-los, com o tempo, a sua frustração irá aumentar até colocar em risco o próprio casamento. Como não tem o retorno que necessita em casa o marido cuckold torna-se receptivo a fontes alternativas de dominação. Caso acabe por se entregar a outra mulher dificilmente conseguirá inverter o processo.

Abordando o Marido

Quererá certamente que ele saiba ou sinta o que se está a passar. Se não souber como poderá entrar no jogo ? Lembre-se que o seu marido quer ser cuckolded, só não sabe como. Por isso, apenas tem que quebrar o gelo abordando o tema indirectamente. Por exemplo:

O seu marido alguma vez lhe perguntou a sua opinião sobre sexo a três (threesome), swing ou algo extra marital ? Se sim, este seria um bom ponto de partida. Excite o seu marido de forma a que possa falar melhor com ele, um homem excitado é sempre mais receptivo e susceptível, masturbe-o com a mão até sentir que está no ponto. Quando estiver perto do orgasmo pergunte-lhe "Querido, recordas-te de me teres falado em ménage a trois ? Tens pensado nesse assunto ?"

Analise a sua reacção com atenção, esteja preparada para observar todos os pormenores, o olhar, os movimentos, qualquer breve alteração na rigidez do pénis. Ficou surpreso ? O coração começou a bater-lhe mais forte ? Tentará esconder a excitação, claro, e o mais provável será responder-lhe com outra pergunta como "Estás realmente a considerar isso ?" Mas o importante não é o que ele diz mas sim os sinais da sua reacção espontânea e inconsciente.

Ou

Se suspeita que o seu marido se masturba escondido tente apanha-lo no acto. Assim poderá dizer-lhe "É assim que me tratas ? Que seja a ultima vez que te apanho a masturbar. Acho que é uma falta de respeito! As coisas vão mudar por aqui!"

São apenas alguns exemplos de como como poderá abordar o cuckolding com o seu marido. Mas atenção às palavras e termos que usa, repare que nestes exemplos nunca usei palavras como cuckold ou corno. Nesta fase inicial não há necessidade de ser específica. Apenas tem que se preocupar com a mensagem que quer passar "As coisas vão mudar por aqui"  

Pode também abordar o tema fazendo um comentário desinteressado acerca de um filme de que ouviu falar como "De olhos bem fechados", "Henry and June" ou "Proposta Indecente". Ou de uma notícia real ou fictícia que leu no jornal sobre o caso de um marido que partilhava a esposa com outros homens, ou incentivava a esposa a prostituir-se.

Terá que encontrar uma porta de entrada para o tema da dominação feminina e do cuckold. Este é o ponto de partida do processo. Para tornar o seu marido mais espontâneo, desinibido e "colaborador" pode:

  • Abusar das bebidas alcoólicas durante ou depois do jantar
  • Criar um ambiente excitante com velas aromáticas e aperitivos afrodisíacos
  • Ser sexualmente apelativa e provocante através da roupa, maquilhagem e postura
  • Masturba-lo lentamente deixando-o num estado de excitação constante
  • Falar de temas e fantasias que sabe que o excitam
  • Ver um filme porno, preferencialmente sobre cuckolding ou dominação feminina.


Seja dura com ele   

Após ter-lhe dado a saber que as coisas iriam mudar em casa, tem que continuar. Recorde que ele não lhe dará o controlo sobre ele, terá que ser você a tirar-lho. Basicamente, no início, terá que ser má para ele. Isso não será fácil para si, provavelmente foi educada a tratar as pessoas com o mesmo respeito com que quer ser tratada. Está é uma das partes mais exigentes do cuckolding, porque terá que quebrar essa regra de ouro, mas assim que se habitue tornar-se-à natural.

Porque precisa ser dura e má ? Para depois poder ser simpática e boa! Para lhe dar algo tem que primeiro tirar tudo. Quanto maior o frio mais intenso e envolvente será o calor. Tal como a polícia usa a técnica de policia bom, policia mau, nos interrogatórios que consiste em tratar inicialmente o suspeito com agressividade e frieza de modo a incutir-lhe um estado de vulnerabilidade, medo e apreensão para que mais tarde o policia bom, simpático, atencioso e compreensivo, o possa tornar mais receptivo e colaborador. Terá assim que desempenhar os dois papeis, será primeiro o polícia mau e mais tarde o polícia bom. 


Desde sempre que o homem se sente sexualmente atraído por mulheres independentes, autoritárias, cruéis e até mesmo más! Muitos homens procuram na esposa alguns atributos maternos assimilados durante a infância tais como disciplina, autoridade e segurança, principalmente quando têm ou tiveram mães dominadoras e controladoras. O estereotipo de "mulher fatal" sem a vertente criminal, traduz-se numa mulher sedutora, atraente, e geralmente perversa e cruel com características de frieza e sadismo. Também é vista como uma mulher misteriosa e glamorosa de maneira exótica e sofisticada. O cinema e a literatura estão repletos de mulheres fatais mestres na arte da sedução e manipulação capazes de levar os homens à loucura e conseguir tudo o que querem. E é exactamente essa personagem que deve encarnar nesta fase. Sabe o que quer o homem casado quando procura sexo fora de casa ? Não é carinho nem amor, isso já tem da esposa, o que realmente quer é estar com uma mulher que não nutra qualquer tipo de sentimento afectivo por ele. Quer ter alguém que lhe imponha regras, limites e disciplina. "Tens sexo porque me pagas, não podes fazer isto nem aquilo, tens apenas uma hora do meu tempo e só podes ter um orgasmo, depois tenho que sair para outro cliente." Quem humilha quem afinal ? Resumindo, não se sinta mal com a crueldade e frieza que impõe ao seu marido, não é algo mau nem negativo, pelo contrário, o ditado é antigo "quanto mais me bates mais eu gosto de ti" . Você apenas lhe está a dar o que ele precisa, e o que precisamos nem sempre vem embrulhado em veludo.




Comece por mudar alguns aspectos da vida dele. Uma das primeiras coisas que pode fazer é alterar a sua identidade. Por exemplo efeminize o seu nome, se se chamar Manuel chame-lhe Manuela, se se chamar Mário chame-lhe Maria. Em alternativa poderá diminuir o seu nome; João passa a Joãozinho; Pedro passa a Pedrinho ou Pedrito. O objectivo é enfraquecer e ridicularizar a sua identidade associando-o aos elementos socialmente reconhecidos como fracos, crianças e mulheres. Converse com ele e diga-lhe que daqui em diante será o nome que usará para o chamar.


Não permita também que ele a trate pelo nome. Apenas os pares podem chamar-se entre si pelo nome. Obrigue-o a chama-la de Dona, Mistress, Ama ou Deusa. Quando lhe faz uma pergunta directa insista em que lhe responda "Sim Senhora" ou "Não Senhora". Isso ajudará na sua transição para submisso.

No mesmo contexto poderá referir-se a ele usando alcunhas como "Pequenote" "Pequenino". E refira-se ao seu pénis da mesma forma ou como "Inútil" "Pila Mole" "Pila Murcha". Isso irá desencadear uma onda de insegurança em relação ao tamanho do pénis. (Ver Dica) Ainda seguindo a mesma linha de orientação, inicie um ciclo de críticas  negativas em relação ao seu desempenho sexual e falta de iniciativa e criatividade.

Outras coisas que pode fazer são; retirar-lhe o seu tempo livre dando-lhe tarefas domésticas e recusando-lhe sexo. Lembre-se que agora é uma hotwife, o apetite sexual do seu marido deverá ter incrementado consideravelmente, procurando a sua companhia com mais frequência e vontade.Comece devagar, mas seja firme. Das vezes que autorize a relação sexual certifique-se de que é por sua iniciativa e que durante o acto não transmite qualquer sinal de entusiasmo ou prazer. Passe a ideia de que não precisa do pénis dele, de como lhe é sexualmente inútil e incapaz de lhe proporcionar prazer. Obrigue-o a dormir com roupa interior feminina, e a fazer a depilação na zona do pénis e do ânus. (Ver DicaQuer habitua-lo a ele a ser submisso e a si a ser dominadora. Por exemplo obrigue-o a fazer a cama todos os dias. Mesmo uma tarefa insignificante como fazer a cama terá nele um grande efeito. E a partir dessa tarefa poderá desencadear outras atribuindo-lhe novas responsabilidades "Querido, como és tão eficiente a fazer a cama a partir de hoje arrumas também o quarto todas as manhãs"

Leve o tempo que precisar nesta fase. É muito importante que se sinta confortável neste processo. Está a treinar-se a si própria para ser uma bela mas temível esposa cujo marido suplica para a agradar. Seja firme e intransigente com as regras que cria. Se o seu marido não as cumpre faça-o sentir o seu desagrado. Castigue-o com consequências reais quando se porta mal.

O castigo pode ser aplicado de várias formas depende do estilo que escolher. Pode ser passivamente agressiva recusando-lhe sexo. Poderá ser agressiva e castiga-lo fisicamente com palmadas. Ou pode força-lo a fazer algo perverso como comer o próprio esperma ou penetra-lo com um vibrador. Assegure-se sempre de falar com ele no momento da infracção manifestando o seu total desagrado e avisando-o das consequências.


Alguns maridos têm quebras após o orgasmo perdendo todo o apetite sexual. Podem mesmo ter tendência para abandonar o "jogo". Se for o seu caso assegure-se de que atinge o orgasmo apenas no final do acto e se quiser que ele coma o próprio esperma deve parar no preciso momento em que chega ao orgasmo, dando-lhe a comer o esperma que saiu nesse primeiro instante. 


Representando o papel de boazinha


A verdadeira beleza em ser má para o seu marido não está nos benefícios directos dessa atitude mas na forma como redefine o ser boa para ele. Coisas que antes eram vistas como normais agora são tratamento especial. Ele estava habituado a ter sexo consigo sempre que lhe apetecia, mas em consequência da privação sexual que lhe impôs, essa regalia tornou-se novamente especial, tal como era no passado na altura em que se conheceram. Ao ser persistentemente cruel com o seu marido diminuiu-lhe os padrões do que é considerado bom.

Use esta nova postura até sentir que o seu lado mau e frio passou a ser a base da relação, o que poderá levar algumas semanas. Seja paciente e tente não apressar o processo. A pressa nunca levou a bom porto. Assim que o seu lado mau seja o estado o normal, pode mostrar o seu lado bom. Mostre-lhe que o bom comportamento será sempre recompensado, pode dizer "Decidi hoje que como foste um lindo menino e fizeste todas as tarefas vou fazer-te um "blowjob" (sexo oral) no final da semana.". Algumas semanas antes um blowjob não seria recompensa suficiente para uma semana inteira de tarefas, mas em consequência do seu papel de "mulher fatal" o valor de um blowjob subiu consideravelmente. Ao ser simpática está a incentivar e motivar o seu marido a seguir as regras e este é o caminho para a dominação.

Tem tudo que ver com paus e cenouras. Recompense-o pelo bom comportamento, castigue-o pelo mau, e principalmente lembre-lhe que para si ele não é um morador residente, mas apenas um mero arrendatário. Você já não é um dado adquirido, uma propriedade arrumada na prateleira à espera que se lembrem de si.



O seu prazer primeiro



Agora que é uma especialista em crueldade está na hora de seguir para uma nova lição. Treinar o seu marido a ter prazer em função do seu. A nova razão de ser do seu marido será única e exclusivamente dar prazer á sua dona. Diga-lhe isso. O carro novo que planeava comprar deixou de ser uma prioridade, saídas com os amigos deixaram de ser permitidas, hobbies como pescar e ver futebol já não fazem parte da sua agenda. Agora o seu marido tem outras preocupações como a limpeza da casa, a lavandaria, a cozinha e todas as tarefas que lhe dê.

Isso não irá apenas rebaixa-lo como lhe dará mais tempo livre a si. Tire partido dessa situação e aproveite! Vá à piscina, ao ginásio, ás compras... não descure o seu objectivo primário de ser uma hotwife. Saia com as suas amigas e amigos, marque encontros com outros homens. Não terá que se preocupar novamente com os seus filhos porque o seu marido toma conta deles. E como o proibiu de comprar aquela coisa que ele tanto queria e para a qual juntara algum dinheiro, vá as compras e gaste-o para si! Está na altura de colocar o plano hotwife que tinha agendado para um futuro próximo em prática!

Não desleixar a comunicação entre os dois é essencial nesta fase do processo. Mantenha o seu marido informado de tudo o que faz, se sair com outro homem ás escondidas será traição e nesta fase não queremos promover qualquer acto que possa despertar uma reacção negativa.

Se não fizer todas estas coisas e decidir ser simpática com ele, pode deitar por terra os seus planos. É você que decide aumentar ou não a sensação de impotência do seu marido. Se apenas o forçar a não comprar o carro, e depois não gastar o dinheiro está a enviar-lhe a mensagem errada. Gaste o dinheiro em si e diga-lhe "Não quero saber dos teus prazeres porque os meus são mais importantes!" Se não quiser gastar o dinheiro guarde-o sem que ele saiba.


Para que o seu marido seja receptivo e obediente é necessário que o mantenha num estado permanente de excitação sexual. Quanto mais excitado estiver mais obediente e receptivo será. A excitação só desaparece após o orgasmo, por isso, se controlar os orgasmos controla a sua motivação e entrega. 


Mudando o Significado de Sexo




Esta secção é especialmente importante pois marca o momento a partir do qual a vida sexual entre si e o seu marido muda radicalmente. Algumas coisas vão desaparecer, outras mudar e outras surgir. Acabou-se o sexo oral. O sexo oral é o símbolo máximo do prazer masculino e deve ser-lhe retirado. Nem sequer tenha relações sexuais com ele. A relação sexual implica prazer bilateral e igual para ambas as partes e essa não é a mensagem que quer transmitir. Se ele insistir no sexo faça-o penetra-la com o seu vibrador preferido.

Faça questão em lhe dizer o quão maior é o vibrador comparado com o seu pénis e o quanto isso a faz feliz, diga-lhe "é mesmo bom ter um pénis a sério dentro de mim" Se tiver que ter mesmo sexo com ele obrigue-o a ser o segundo depois do vibrador e a usar um ou dois preservativos XXL. Isso irá certamente diminuir o seu prazer. Ao ser o segundo irá senti-la menos e com os preservativos terá muito menos sensibilidade.

A vida sexual do seu marido irá agora girar apenas em torno de si. O objectivo é diminuir-lhe ou retirar-lhe o prazer do acto sexual obrigando-o a focar toda a sua atenção e energia no prazer que lhe proporciona. Algumas das coisa que poderá fazer são:

  • Agache-se ou sente-se sobre a sua boca e forçando-o a lambê-la e a penetra-la com a língua. 
  • Obrigue-o a lamber o seu ânus enquanto a penetra com o vibrador. 
  • Masturbe-o parando no momento exacto em que vai atingir o orgasmo, repita o processo várias vezes até ele suplicar para se vir. 
  • Deixe que a penetre mas sem permitir que atinja o orgasmo dentro de si. Pare, afaste-o e mande limpar a vagina com a língua. Use o termo "limpar" Isso irá prepara-lo para o que vem a seguir.
  • Ao penetrá-lo com o dedo poderá massajar-lhe a glândula da próstata isso vai activar a produção de esperma fazendo com que ejacule mas sem atingir o orgasmo, com o dedo apanhe o esperma e meta-lho na boca mandando-o chupar.
  • Masturbe-o até atingir o orgasmo e pare nesse preciso momento massajando-lhe apenas os testículos. Assim irá ejacular sem prazer o que evitará qualquer quebra de apetite sexual momentâneo. 
Repare na linguagem que estou a usar, se não tem o hábito de dizer palavrões treine-se para isso, têm que lhe sair naturalmente.

Durante o acto fale com ele, faça-o sentir-se inútil na cama, passando a mensagem de que nunca conseguirá dar prazer sexual a uma mulher, de como é ridiculamente pequeno e limitado, incapaz de fornecer aquilo que uma mulher precisa. É essencial reduzir-lhe a confiança sexual e masculinidade, tal criará uma barreira entre ele e o sexo oposto tornando-o completamente dependente de si. 

A humilhação persistente e constante irá também torná-lo cada vez mais submisso. Tenha no entanto o cuidado de lhe dizer o quanto precisa dele para a sustentar e lhe proporcionar uma boa vida, o quanto aprecia a sua inteligência, e o quanto lhe dá prazer humilha-lo e fazer dele o seu escravo. São incentivos que lhe retiram a insegurança em relação ao matrimónio e o fazem perceber que tem utilidade e que também precisa dele. O amor nunca deve ser posto em causa. Deve demonstrar claramente os sentimentos que tem por ele, pois são os pilares da sua confiança e entrega.

Depois de algum tempo ele começará a compreender o que significa quando diz "Vamos foder!". Deixe-o masturbar-se no fim e apenas se se portar bem.


As Condições



A partir daqui poderá levar as coisas mais longe. Uma boa maneira de o fazer é através de condições. Uma condição é basicamente uma troca. Por exemplo "Muito bem corno, eu deixo-te vir esta noite, mas tens que te vir para a tua mão e depois comer o teu esperma." ou "Putinha, hoje vou ser simpática para ti, vou deixar que me fodas mas depois vou sentar-me na tua boca e fazer-te comer o teu esperma da minha rata". Usando estas condições poderá passar para a um patamar mais elevado de submissão voluntária. Ele vai estar de tal forma sedento pelo seu sexo macio, quente e molhado que nunca dirá não a qualquer condição que lhe apresente. (Ver Dica)

Depois de levar o seu marido a este ponto de humilhação degradante, todas as condições futuras serão mais fáceis  Pode por exemplo dizer-lhe "Deixo-te que me fodas se me deixares foder-te primeiro". Penetre-o com um vibrador ou use um strap-on mostrando-lhe o quanto isso lhe dá prazer. Diga-lhe "és melhor a ser fodido do que a foder" ou "Vou fazer de ti a minha puta". (Ver Dica) Depois de ultrapassar este limite e quebrar a barreira da virgindade anal, normalmente o momento em que o penetra com um strap-on pela primeira vez, será muito mais fácil fazê-lo em momentos futuros. Cada condição que imponha deve ser sempre mais ousada e humilhante que a anterior. Até que um dia lhe diz "Deixo-te vir dentro de mim se esperares que chegue depois de estar com outro homem".




Mas atenção, não use condições para sempre. São apenas uma ferramenta para os estágios iniciais. Após algum tempo terá tanto poder que não voltará a precisar delas, fazendo do seu marido o que desejar. Se persistir nas condições durante muito tempo, poderá revelar alguma fraqueza pois estará a passar a mensagem que precisa sempre de dar algo para ele fazer o que pede. E não é esse o seu objectivo, a sua missão é treina-lo a obedecer sem esperar nada em troca. 

Neste momento condicionou o seu marido a ser o seu cuckold. Normalmente coincide com a altura em que forçou a fazer algo de tal forma perverso e humilhante, que o fez perder definitivamente o respeito por si próprio. Poderá ser a noite em que lhe retira a virgindade anal, a noite em que regressa a casa e o faz comer o esperma de outro homem da sua vagina, ou o momento em que o força a chupar o pénis do seu amante. O longo processo termina nesse momento. É o chamado ponto de não retorno. A partir daí a mudança na vossa relação será de tal forma significativa que dificilmente conseguirá inverter o processo. O seu marido ficará preso a este terrível e vergonhoso segredo que o excita, liberta, e lhe dá prazer e felicidade. Quanto a você poderá saborear o poder no estado puro. Autonomia, independência, liberdade, segurança, domínio e confiança.



Lembre-se ainda do seguinte "Com grandes poderes vêm grandes responsabilidades" É agora responsável por outro ser humano, que lhe delegou a sua autoridade e poder de decisão. Mudou o propósito da sua vida  passando da busca da felicidade para a busca da sua felicidade. Deverá dar-lhe a oportunidade de atingir esse objectivo e assim permitir-lhe ser feliz.

Chegou o momento de procurar o seu primeiro amante, para a ajudar nesta demanda consulte esta Dica

Como dona, ama ou deusa pode agora usar um dos símbolos que permite identificar-se junto de outras esposas, maridos cuckold ou machos. Símbolos apenas reconhecidos por quem pertence a esta comunidade e que por isso não estão publicados neste blog. Caso os deseje obter contacte-me .

Embora o processo de transformação do seu marido esteja concluído deve continuar a treina-lo para que possa desempenhar o papel de "corno submisso" na perfeição. Para isso publiquei várias Dicas neste blog que pode e deve usar para evoluir e diversificar a sua relação. Não caia novamente no erro da rotina e da acomodação. Não se esqueça que o seu marido também tem necessidades e que você é a única com capacidade para as satisfazer. Muitas mulheres cometem o erro de deixar que a sua vida íntima com outros homens ofusque por completo a relação com o marido. É o principio do fim. Mantenha-se em sintonia com o seu marido sem perder de vista as necessidades de cada um.

Nesta fase o seu marido já deverá ter assimilado as seguintes premissas:
  • Não possuir qualquer autoridade, domínio ou poder no contexto sexual
  • Não ter qualquer controlo, direito ou domínio sobre o seu pénis
  • Ver o seu pénis como um brinquedo e não como um órgão sexual
  • Não alimentar expectativas ou fantasias em relação ao acto sexual consigo
  • Desejar única e exclusivamente proporcionar-lhe momentos de intenso prazer


.


29 comentários:

  1. Já li este blog todo mais que uma vez, dou os meus sinceros parabéns ao Dante pela sua compreensão da temática e pela forma cativante e exitande como expoe os assuntos. Penso que este estilo de vida é perfeitamente retratado aqui e de uma forma inteligente.

    Eu sou casado com uma muito sensual mulher, morena e fogosa. Ela não sabe que eu quero ser cuckold, mas convidei o Dante para ser o meu mentor.

    A ideia é abrir uma zona aqui no blog onde eu e ele vamos escrevendo sobre o processo de eu e a minha esposa sermos um casal cuckold. Aplicação do curso à realidade! Não sei se vamos conseguir ou não, mas acho que podia ter imenso interesse, o que acham?

    o meu mail é afonsomelo1983@gmail.com

    ResponderEliminar
  2. .



    Ótimo texto, muito explicativo e esclarecedor. Porém tem algumas ressalvas... Ser participante de Cuckold envolve três atores principais: Uma esposa vadia, um amante comedor e um marido corno. Cada participante tem o seu papel bem definido, de uma forma natural e que no final todos sintam muito prazer.

    Penso que transformar o corno num viado não seja a condição maior da arte Cuckold. A esposa que fizer isto pode correr o risco do marido corno transforma-se num gay passivo e largar da esposa vadia e ir viver com algum parceiro homossexual ativo. E pode apostar que é mais comum que vocês possam imaginar.

    O papel do marido corno é levar a esposa puta as melhores experiências sexuais possíveis, pois ele sente bem com o prazer da esposa. Aí entra o papel do amante comedor. Dar prazer a esposa vadia e de tabela, ao corno do marido. Se a esposa tem um tesão alucinante, o corno providenciará um ou mais machos para satisfazer sua amada. Existem muitas fêmeas que nunca ficarão satisfeitas com um único macho, por melhor que seja. E não se restringe apenas aos humanos, na natureza é bem comum.

    O corno deve sentir prazer com a esposa, ver sua amada sendo devidamente arrombada pelo(s) amante(s) e nunca morrendo de desejo pelo caralho do comedor. Se sente desejo em ser possuído e sodomizado pelo amante da esposa, que saia do armário, assuma sua homossexualidade e vá cassar um ativo para satisfazê-lo. O único contato do corno com o comedor é o legítimo direito de limpar a buceta esporrada da esposa ao final da foda. Não é o mesmo que chupar um cacete até gozar em tua boca, como os gays gostam, mas sim saborear o gosto da porra do amante misturada aos fluidos vaginais da esposa numa buceta encharcada, pingando e semi aberta pela tora do comedor. Para quem já experimentou sabe o gosto maravilhoso que tem esta mistura deliciosa.

    Assim, transformar o corno num viado pode dissolver o trio (esposa-comedor-corno) princípio fundamental para os praticantes cuckold e amantes das fantasias a três parceiros com muito prazer.



    .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo com vc em quase tudo o q vc acha. Só discordo de vc e de 99% das pessoas q colocam o marido em determinada posição. Acho q corno é o marido a qual a esposa sai com outro homem e ele não sabe, mas o marido q é conivente e está de acordo em sair com outro homem junto com a esposa é pra ter sexo triplamente gratificante, sentir mais tesão e se satisfazer com maior prazer tanto da parte dele como dela, portanto um casal normal que age fora do convencional. Um é pouco, dois é bom e três é ótimo.

      Eliminar
    2. concordo com vc amigo, esse seria o papel do trio - esposa puta - comedor competente e marido satisfeito e provedor. abraços. brancaeneves@gmail.com

      Eliminar
  3. Quem dera achar uma parceira que quisesse me submeter a isso.
    E se ela fizesse questão de que eu chupasse também o pau do namorado, faria com amor por ela, pois todo o meu prazer seria satisfazer o que ela ordenasse.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cada um tem suas preferencias mais transformar um marido em chupador de rola e fazer ele experimentar a rola do amante é querer viver com um gay ao lado. e não vejo nada de interessante em uma mulher transformar seu proprio marido em um gay, sou a favor da mulher transformar o marido em um corno pois acho que toda mulher é puta (mas algumas estão adormecidas esse lado piranha) e precisa de mais de um cacete para satisfaze-la. a não ser que o marido queira acho que a esposa nunca deve querer obrigar o marido a experimentar rola( esperma sim) do amante isso se acontecer tem que ser de forma natural sem que a esposa se esforce para que isso aconteça.
      Tenho certeza que a maioria dos homens que querem serem cornos não querem serem viados, É muito prazeroso experimentar a buceta da esposa cheia de porra de outro, mais levar vara igual a ela isso já sai fora do contexto de ser corno.

      O manual é muito interessante mais erra nessa parte de influenciar a esposa a incentivar o marido meter com o amante ela pode até estimular ele a ser mais feminino mais uma coisa é fazer ele vestir uma calcinha dela ou um vestido outra completamente diferente é querer que a rola que entra no cú dela arrombe o cu dele também, na minha opinião essa parte o manual peca, mas no geral é um otimo guia para esposas e pode salvar muitos casais da monotonia.

      Parabéns pelo manual e pelo blog.

      Eliminar
  4. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  5. Ótimo manual para iniciar suas esposinhas, parabéns. Agora para os cornos de plantão podem me trazer suas lindas e gostosas, esposinhas para serem iniciadas.

    >> A melhor posição que curto comer mulher de CORNO é a seguinte:

    O corno por baixo de sua mulher num 69, o CORNO chupando a bucetinha dela e eu metendo a pica pra dentro da bucetinha dela.

    >>> Eu sou de Ceilândia, Brasília-DF sou comedor de esposinhas, procuro casais liberais, casadas, noivas,namoradas e solteiras. Adoro comer as esposinhas dos meus amigos na frente deles. Tenho 35 anos, qualquer casal que curta entre em contato comigo.

    >>>ricardaodf@hotmail.com ou (61) 9100-8848 Operadora claro.


    >> OBS.: Favor não fiquem mandando mensagens para o meu celular, se quiserem me liguem pois sou comedor de esposinhas e não mensageiro. Curto real sou comedor nato.

    >>> FAVOR ME LIGUEM EM DIAS ÚTEIS POIS NÃO LEVO ESSE CELULAR PARA CASA.

    >>> Casais que procuram homem (macho) para sua mulher (esposinha) que sejam daqui do Distrito Federal ou que possam vir prá cá.

    ResponderEliminar
  6. "É assim que o mundo acaba, não com uma explosão, mas com um lamento".

    ResponderEliminar
  7. Queria dar os parabéns a este blog maravilhoso e em particular aos seus criadores pelo cuidado demonstrado na sua elaboração . Não sei se sou um corno na plenitude da sua palavra porque limito-me a pertencer a uma hotwife casada que me usa depois de foder com o marido para lhe lamber e limpar a sua ratinha de toda a esporra derramada pelo seu marido. Talvez eu esteja criando uma subcategoria do cuckold.

    ResponderEliminar
  8. sou corno minha mulher tem um amante da para ele, dus ou tres vezes por semana, quero aprender a ser cucold. bjs a todos, fernando e leticia / sp estamos indo apra bonito no dia 6 de abril

    ResponderEliminar
  9. Anónimo24 de Outubro de 2013 às 07:15
    "É assim que o mundo acaba, não com uma explosão, mas com um lamento".

    ResponderEliminar
  10. adoraria conhecer a sua esposa menagedf2012@hotmail.com, tenho amibiente, caso curta vê-la com dois também tenho amigo. Ricardus tenho amiga que curte me ver com outro chupe...

    ResponderEliminar
  11. i am a hotwife send me e mails


    shihuck@hotmail.com

    ResponderEliminar
  12. olá, tambem gostaria de partticipar de aventuras assim, estaremos indo pra salvador no próximo feriado

    ResponderEliminar
  13. robertotrindade@bol.com.br

    ResponderEliminar
  14. que coisa ridicula vc fala nesse texto como se todas as pessoas gostasem das mesmas coisas como homens tem homem q gosta de ser submisso e tem homem que prefere dominar !isso depende da pessoa muitos caras numa situação dessas irão se separar e arranjar uma amante! acho perigoso vc levar as mulheres a faxerem essas bobagens e sexo deve ser feito por tesão pelo momento e não seguindo um manual!ridiculo

    ResponderEliminar
  15. Manual de como ser puta :) "vamos pegar um ser humano e transformar num brinquedo?" Se vcs querem maridos submissos procurem quem goste, moldar pessoas a sua propria preferencia eh ridículo, e antes q alguém venha com o argumento de que "homens também fazem o msm blablabla" eh igualmente errado, mas como a atitude mais fácil para uma pessoa ignorante eh simplesmente repetir o q lhe foi mostrado, eu n me surpreendo com essa atitude, ao inves de tentar corrigir um problema, propõe-se outro pra que haja "equilíbrio"...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu já penso que ninguém é capaz de transformar ninguém. Se uma mulher consegue fazer isso tudo que está escrito nesse texto, é porque o marido já estava pré-disposto a aceitar, aceitou tudo isso porque gostou, porque já tinha o fetiche e não sabia. A maioria dos homens vai achar isso um absurdo e não vão admitir serem corneados, por mais que a esposa tente seduzir da forma como está descrita aqui. Mas eu como submisso, aceitaria sem resistir. Muito excitante o texto, parabéns ao blog.

      Eliminar
  16. oi sou a DEISE casada , e por isso preciso de sigilo e segurança vou deixar meu emailpara homens que quiserem me conhecer PSLOIRA69@HOTMAIL.COM dou preferencia o homens maduros que sabem o que querem acima dos 55 anos bem taradinhos kkk
    tenho 41 anos , morena loira tingida kkkkk
    baixinha , bum bum arrebitado e muito gostosa segundo meu maridinho e cantadas kkk espero contato preliminares beijos !

    ResponderEliminar
  17. Comecei a aplicar por brincadeira e acabei gostando da posição dominadora. Meu marido já aceita eu transar com outro e semana retrasada foi a primeira vez que ele viu alguem me penetrar e o vi gozar sem tocar no penis dele. Isso me deu muito tesao, essa semana fomos a praia e transei com um rapaz na agua. Foi delicioso.
    Mas ainda nao cosnegui fazer ele participar, apenas me beijar depois de chupar outro.
    Estou amando, toda garota devia fazer?

    ResponderEliminar
  18. Estou a procura do meu corno submisso
    morenafolgosa30@gmail.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Achou...sou eu seu corninho submisso...viajante1000@msn.com

      Eliminar
  19. Texto fantástico, muito excitante. Parabéns ao escritor. Só senti falta de mencionar a castidade masculina como ferramenta fundamental para manter o cuckold sempre excitado, para aceitar com mais facilidade a esposa vir com outros homens.
    Eu conheci um blog muito bom sobre o assunto, é do Brasil, castidademasculinacontrolada.blogspot.com

    Eu garanto que em castidade o corninho vai ficar muito mais obediente.

    ResponderEliminar